Notícia: Espaços compartilhados geram economia para os advogados

Sexta-Feira, 7 de Julho de 2017

Espaços compartilhados geram economia para os advogados

No último dia 4 de julho, o diretor da CAASP Adib Kassouf Sad recebeu o presidente da Ancev (Associação Nacional de Coworking e Escritórios Virtuais), Ernísio Martines Dias (foto), para formalizar um convênio que garante preços diferenciados para os profissionais inscritos na OAB-SP que desejem utilizar espaços de trabalho compartilhados. Responsável pelo Clube de Serviços da entidade, Adib Sad enfatizou: “A partir de agora, o advogado poderá deixar de custear toda uma estrutura que fica muitas vezes ociosa e gerando despesas".

Por meio da Caixa de Assistência, os advogados têm 20% de desconto no uso de salas de reuniões, 10% no uso de escritórios privativos e 10% no uso de espaços coletivos de coworking. Caso queiram contratar um pacote corporativo, que contempla endereço comercial, endereço fiscal, atendimento telefônico e envio de recados, os descontos nos serviços serão os seguintes: 20% para uso de salas de reuniões e de 15% para escritórios privativos e espaços coletivos de coworking. Para usufruir da parceria, basta acessar o site www.ancev.org.br, pesquisar o endereço mais próximo e dirigir-se a ele portando da Carteira de OAB.

O número de empresas que oferecem escritórios virtuais e espaços de coworking aumentou nos últimos anos. Hoje, a Ancev estima em mil os escritórios compartilhados espalhados por todo território nacional. Destes, mais de 100 espaços são associados à Ancev e estão elencados no convênio com a CAASP, 28 dos quais em São Paulo. Trata-se de um setor que cresce em média 20% ao ano, impulsionado em grande parte pela procura dos advogados que formam 30% da clientela desse tipo de serviço.

Para Ernísio Martines Dias, o atrativo dos escritórios compartilhados está no baixo custo para o profissional e no fomento à troca de conhecimentos, experiências e oportunidades de negócios entre os usuários. “O conceito por trás dos escritórios compartilhados é o pay-per-use, ou seja, você paga exatamente por aquilo que usa, pelo tempo que usa. No coworking, alia-se a isso a troca de ideias entre profissionais que a princípio trabalham de forma independente, mas que podem vir a se complementar, muitas vezes formando parcerias”, observa Ernísio.

O mobiliário de escritórios compartilhados e de coworking é contemporâneo e confortável. Os espaços são climatizados e acessíveis. As salas de trabalho e de reuniões são tecnologicamente preparadas e permitem conexão de alta velocidade com pessoas e empresas de qualquer lugar do mundo. Os espaços dispõem ainda de serviços de secretária e telefonia, motoboy e office-boy, impressoras multifuncionais, cafeteria e serviços de copa, limpeza, manutenção e outros inerentes a um escritório.

Um levantamento feito pela Ancev demonstrou que, caso use instalações próprias, um advogado gastará em média R$ 5.000,00 com despesas como aluguel de sala, condomínio, IPTU, aquisição de móveis, equipamentos de TI, salários de funcionários de limpeza e secretária, além de serviços essenciais como luz, internet, telefone e manutenção. Ao optar pela modalidade virtual, o custo vai de R$ 200,00 a R$ 1.800,00, sem desconto. Na modalidade coworking o profissional paga em média R$ 15,00 (valor sem desconto da parceria CAASP-Ancev) por hora para usar o espaço.

 

Foto de José Luís da Conceição


+ Mais Notícias