.

Notícia: No primeiro mês de 2017, Econômetro atinge R$ 4 milhões

Quarta-Feira, 1 de Fevereiro de 2017

No primeiro mês de 2017, Econômetro atinge R$ 4 milhões

O Econômetro, dispositivo que atualiza e aponta em tempo real a economia gerada nas compras de medicamentos e livros na Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo, fechou o mês de janeiro com a marca de R$ 4 milhões. Em 21 dias, de 2 a 31 de janeiro de 2017, foram prestados nas farmácias da Caixa, 299 mil atendimentos, aos quais correspondem 54,7 mil itens vendidos. Já nas livrarias foram registrados nada menos que 6,5 mil atendimentos e 4,2 mil volumes vendidos. A advocacia pode conferir a economia ao comprar medicamentos e livros na sua entidade assistencial, por meio de monitores de TV afixados em 40 endereços. Quem preferir pode acessar o portal www.caasp.org.br/Econometro e visualizar os valores economizados em tempo real.

A Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo não obtém lucro com o comércio de medicamentos e livros. Tais produtos são vendidos à advocacia a preço de custo. Se comparados aos de mercado, os preços praticados nas farmácias da CAASP chegam a ser até 80% menores, no caso de alguns medicamentos genéricos. Os da livraria são, em média, de 25% a 40% menores que o do varejo livreiro em geral. Em 2016, o total economizado pelos usuários das farmácias e livrarias da CAASP ultrapassou R$ 50 milhões.

A vantagem financeira que se tem ao utilizar os serviços da CAASP não se esgota nas farmácias e livrarias corporativas. Os procedimentos médicos que fazem parte das campanhas preventivas de saúde desenvolvidas anualmente pela instituição, por exemplo, também trazem importante economia aos usuários. Além disso, os preços cobrados nas clínicas odontológicas da CAASP representam ganhos importantes em comparação com os valores praticados em clínicas particulares.E mais de 3 mil estabelecimentos comerciais conveniados oferecem descontos especiais para advogados, nas mais diferentes áreas, desde lojas de roupas e concessionárias de veículos até escolas de idiomas e universidades.


+ Mais Notícias