Segunda-Feira, 8 de Novembro de 2010
CAASPShop dobra número de cadastrados e consolida-se entre os advogados
Mudar tamanho da letra: A+ | A-

A CAASPShop (www.caaspshop.com.br) aos poucos integra-se à rotina de consumo dos advogados. Os números confirmam a expansão contínua da aquisição eletrônica de livros, medicamentos e artigos de perfumaria na loja virtual da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo: de janeiro a outubro de 2010, a CAASPShop registrou 180 mil visitas, enquanto em todo o ano de 2009 os acessos somaram 176 mil. As páginas internas do site foram acessadas 1,4 milhão de vezes em 2010, ante 1,2 milhão em 2009. Neste ano, já foram vendidos eletronicamente pela Caixa 50 mil itens, entre produtos de farmácia e de livraria, contra 28,5 mil em todo o ano passado. O número de clientes cadastrados na loja virtual elevou-se de 5,7 mil para 10,5 mil.

 

“Os números, por si só, devem ser comemorados, mas nosso objetivo é que a prestação de serviços por meio eletrônico cresça muito mais do que isso. Os dados atuais revelam algo positivo: a loja virtual está, paulatinamente, se consolidando como uma ferramenta que facilita a vida do advogado”, observa Sergei Cobra Arbex, secretário-geral da Caixa de Assistência. “O crescimento do total de usuários cadastrados, por exemplo, demonstra uma evolução cultural, pois aqueles que se cadastram acabam se tornando propagadores dos serviços”, avalia.

 

Posta no ar em janeiro de 2009, a CAASPShop é um portal de comércio eletrônico em que os advogados podem adquirir on-line  livros e medicamentos pelos mesmos preços cobrados nas livrarias e farmácias da Caixa de Assistência. Apenas remédios que necessitem de receita médica não são comercializados dessa forma, em conformidade com o que determina a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As compras podem ser feitas por cartão de crédito ou boleto bancário, e parceladas em até cinco vezes. O sistema de segurança do portal é o mais moderno que existe no âmbito do comércio eletrônico. Nas transações a loja virtual da Caixa utiliza tecnologia SSL de 128 bits. Isso significa que somente o site – e mais ninguém - tem acesso às informações. Os dados enviados são criptografados e decodificados somente na operadora do cartão, o que assegura total confidencialidade.

 

A partir de novembro, também escritórios de advocacia, na qualidade de pessoas jurídicas, poderão comprar na CAASPShop, a exemplo do que já ocorre nas farmácias e livrarias da Caixa de Assistência.

 

Mais um salto do e-commerce

 

 

No primeiro semestre de 2010, o comércio eletrônio no Brasil cresceu 40% em relação ao mesmo período de 2009, conforme a 22ª edição do WebShoppers, estudo realizado pela e-Bit – Inteligência de Comércio Eletrônico, principal consultora de mercado on-line do país. O WebShoppers analisa a evolução do comércio via internet, as mudanças de comportamento e a preferência dos consumidores, a partir de 160.000 questionários respondidos mensalmente.

 

O faturamento do e-commerce brasileiro de janeiro a junho de 2010 foi de R$ 6,7 bilhões, permitindo a projeção de faturamento até o fim do ano de R$ 14,3 bilhões. Em 2009, o setor movimentou R$ 10,5 bilhões. Livros e assinaturas de revistas e jornais lideraram as aquisições on-line no primeiro semestre deste ano, seguidos por eletrodomésticos, artigos de saúde e beleza, medicamentos, produtos de informática e eletrônicos. O índice de satisfação dos consumidores brasileiros com o comércio virtual alcançou 86%.

 

Para Sergei Cobra Arbex, “é inegável que o comércio eletrônico é uma realidade imperativa na maneira de se relacionar em sociedade”. Responsável pela CAASPShop, ele salienta que a pujança do comércio eletrônico e o notável crescimento das compras on-line atestam o acerto da Caixa de Assistência ao investir nesse campo, e adianta que o serviço está sendo incrementado. “Por estar tão difundido e carregar enorme potencial, o serviço deve se manter na vanguarda. Além de preços vantajosos e acesso aos produtos das nossas livrarias e farmácias, firmaremos parcerias com diversas empresas para que prestem serviços via internet aos advogados”, antecipa, citando como exemplo as editoras Lex e Escala, que já atuam em conjunto com a CAASP.