Notícia: CAASP elimina gastos com unidades ociosas

Sexta-Feira, 10 de Fevereiro de 2017

CAASP elimina gastos com unidades ociosas

A Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo está adequando o funcionamento dos seus consultórios odontológicos próprios à demanda efetiva pelo serviço. De 62 unidades, 10 estavam ociosas, acarretando despesas de manutenção que não se revertiam em atendimento, e portanto foram fechadas. “Trata-se de medida administrativa que, ao contrário do que possa parecer, não prejudica a prestação de serviços aos advogados, mas a otimiza”, salienta o diretor-tesoureiro da CAASP, Jorge Eluf Neto.

A Caixa de Assistência já mantém, nas cidades das Subseções que tiveram consultório desativado, clínicas odontológicas referenciadas de alta qualidade, as quais realizam os mesmos procedimentos antes feitos na CAASP, e pelos mesmos preços. De todo modo, são sempre bem-vindas indicações de novas clínicas para compor a rede da Caixa – qualquer advogado pode fazê-las.

“Os valores cobrados tanto na rede própria quando na rede referenciada são, em média, 20% menores do que os previstos na tabela do Conselho Federal de Odontologia”, observa o gerente odontológico da CAASP, Ricardo Padovese.

Segundo Eluf Neto, os custos dos consultórios odontológicos são altos, abrangendo desde os sofisticados processos de manutenção dos equipamentos até o salário dos dentistas, todos contratados pela CLT. “Uma gestão responsável, principalmente num momento de crise como este, não pode arcar com despesas tão elevadas sem que haja a contrapartida do benefício efetivamente concedido aos colegas. Os consultórios que foram fechados eram ociosos”, reitera o diretor-tesoureiro.

A Diretoria da CAASP e os dirigentes das Subseções cujos gabinetes odontológicos foram desativados estão tratando de definir a melhor utilização para a área vaga. A adequação de cada espaço atenderá à necessidade específica de cada Subseção.

Com a mesma finalidade – adequar os atendimentos à demanda efetiva –, a CAASP encerrou o serviço odontológico em sua sede no período noturno, mantendo-o das 9h30 às 18h, de segunda a sexta-feira. Nesse caso específico, a medida também se deve a razões de segurança.


+ Mais Notícias